Como juntar provas para divórcio litigioso em caso de traição?

Todo relacionamento começa sem a intenção de ter um fim, e diversos motivos podem acontecer para que a relação acabe, seja desde um namoro ou até mesmo um casamento. Entre as causas mais comuns que motivam o término de uma relação, infelizmente, é a traição. De acordo com estudos, além de ser dolorosa para quem recebe, a traição pode gerar grandes problemas de confiança, autoestima e até mesmo ansiedade no parceiro traído, assim como problemas em relações futuras.

 

Ao ser traído, o cônjuge, em grande parte dos casos quer terminar a relação. Em relações como namoro ou noivado, é mas fácil, pois não há uma união formalizada pelo Estado, diferente do casamento, onde advogados e até mesmo um detetive pode ser necessário para quebrar a união oficialmente, por exemplo.

Divórcio litigioso ou consensual? Entenda mais

O divórcio pode ser separado em 2 formas: consensual, quando ambos os parceiros concordam com a quebra do contrato, e concordam em questões sobre separação de bens, guarda dos filhos, pensão e outros fatores e documentações. Já o divórcio litigioso é quando uma das partes não concorda com as petições, gerando assim diversos problemas e a busca por soluções para que ambas as partes saiam em acordo. Entenda mais sobre esses tipos de divórcio:

Divórcio consensual

O divórcio consensual é uma maneira amigável de terminar o casamento. Para esse fim, o cônjuge deve ser representado por um advogado e deve concordar plenamente com o contrato assinado. De acordo com os desejos e consenso de ambas as partes, o advogado será responsável por escrever o contrato. Sendo assim, no divórcio consensual, ambas as partes concordam sobre a pensão alimentícia, guarda dos filhos, separação de bens e outros detalhes importantes.

 

Cabe ressaltar que a atual Constituição Federal não impõe pré-requisitos ao requerente, ou seja, não é necessária uma separação judicial ou separação de fato dentro de um determinado período de tempo, ou seja, a vontade dos cônjuges é suficiente.

Divórcio litigioso

Já o divórcio litigioso refere-se à discordância de um dos cônjuges em um ou mais assuntos relacionados ao divórcio, como compartilhamento de propriedades, pensão, custódia de filhos ou mesmo porque uma parte não está disposta a se divorciar. Este é um procedimento judicial e é decidido por um juiz legal. Como qualquer processo judicial, haverá um requerente (quem pede o divórcio) e um réu (contra quem pediu o divórcio), e cada um tem seu próprio advogado, que pode ser um defensor público ou privado.

 

Em casos assim, o juiz decidirá se há a necessidade de pagar qualquer pensão pelo filho ou cônjuge em necessidade antes da discussão. É chamado de alimentos provisionais (apoio temporário para mulheres ou apoio temporário a crianças) e existe para garantir a subsistência dos necessitados durante o processo judicial, que pode durar vários anos até o caso ser encerrado. Portanto, os alimentos provisionais serão decididos imediatamente e se manterá por todo o processo.

 

Após a execução desse procedimento inicial, serão discutidos a divisão de bens do casal, os direitos de moradia e tutela da criança, a pensão determinada, a alteração do nome de casado, os direitos de tutela da criança e outros assuntos, mas isso pode levar muito tempo devido a procedimentos cabíveis e a morosidade do sistema judiciário.

O fato da traição pode alterar o curso do divórcio

O divórcio em si é a conseqüência legal mais comum do término do casamento, mas a separação por traição pode levar a outro curso, incluindo indenização por danos morais. Para isso, a traição precisa ser provada de forma legal.

 

Para que a veracidade seja provada da traição, é preciso que existam provas concretas da existência do dano e da vinculação da traição ao cônjuge. Sendo assim, além da análise do depoimento da vítima, existe a necessidade da apresentação de provas concretas como fotos, depoimento de testemunhas e até mesmo vídeos. 

Afinal, como juntar as provas necessárias?

Quando se trata de uma investigação que possa determinar o resultado de um caso de divórcio, a idéia de coletar evidências por si só pode terminar em fracasso. Se o acusado descobrir que está sendo vigiado, tomará medidas para não deixar provas, dificultando a coleta de materiais. Portanto, contratar um detetive particular pode ser a melhor opção, não apenas porque ele tem o conhecimento necessário para coletar dados com total discrição e prudência, mas também como um pré-requisito para coletar evidências válidas para o juiz, pois o detetive particular é um profissional que possui a permissão para investigar pessoas.

Como o detetive particular pode ajudar?

Após ser contratado e ter o caso passado para ele, o detetive particular irá começar a investigação conjugal. Para conseguir as provas necessárias, irá utilizar de seu conhecimento, assim como ferramentas próprias para obter provas concretas, coletando evidências específicas. Portanto, o caso terá sua conclusão com as provas do detetive. Portanto, é importante contratar profissionais dedicados e competentes, comprometidos com resultados rápidos e eficazes, e sempre manter sigilo e discrição. Deve-se lembrar que as provas precisam ser apresentadas na hora certa, assim como devem ser captadas de maneira legal, fazendo com que o juiz aceite-as como legais.

Contar com o profissional correto pode ganhar causas

Nas investigações conjugais, há muitos casos em que um detetive particular pode agir, mas apenas as evidências obtidas de maneira legal serão aceitas em uma ação judicial, especialmente aquelas que não violem a privacidade do investigado.

 

 É por isso que é importante procurar sempre a ajuda de especialistas qualificados que fornecerão o suporte e os conselhos necessários para evitar perdas e dores de cabeça importantes. Um detetive conjugal estuda todos os casos, mantendo-os cuidadosamente analisados ​ de acordo com as necessidades dos clientes. Especialistas sérios e dedicados complementam a investigação oferecendo excelência e solução imediata.

Como escolher a melhor agência de detetives?

A agência de detetive escolhida deve manter a confidencialidade de todo o processo de investigação e garantir a segurança do cliente através de um contrato assinado entre as partes antes da investigação. O contrato também garante a entrega de um relatório final no final do caso, com todas as informações e evidências coletadas que podem ser usadas no processo judicial.

 

Existem muitas maneiras de reunir evidências e ajudar na tomada de decisões judiciais, mas cada caso será investigado de maneira específica pelos investigadores, de acordo com as necessidades do cliente. Por esse motivo, é importante contar sempre com especialistas sérios e qualificados, porque, em primeiro lugar, não pode haver erros ou evidências falsas na decisão do tribunal.

 

O valor dos serviços depende do tempo da investigação e do número de viagens necessárias para resolver o caso. No final dos dias especificados no contrato, se o cliente não estiver satisfeito com os materiais coletados e o relatório gerado, o prazo poderá ser prorrogado.

 

Conte com os serviços de detetives particulares de qualidade

Sigilo e discrição são muito importantes nos processos de casamento. Isso se aplica não apenas ao detetive particular, mas também ao cliente. Isso se deve ao fato de existirem muitas situações nas quais, devido à ansiedade, ele pode permitir que seu cônjuge seja examinado. Portanto, o cliente deve manter um comportamento normal até o final da investigação.

 

A Elite Detetives realiza serviços de investigação conjugal, empresarial e familiar. Há mais de 20 anos no mercado, nossa experiência é vasta e sólida, estando sempre preparados para atender aos mais diversos casos com sigilo e seguindo o código de ética da profissão. Contamos com equipamentos de ponta para auxiliar os detetives em todo o processo de investigação. Entre em contato e saiba mais sobre a investigação conjugal.

 

Acabe com suas suspeitas
Whatsapp
Nós te Ligamos Mande um Whatsapp