Os maiores detetives da ficção

Os maiores detetives da ficção

A ficção criminal é um gênero muito popular, seja na literatura, no cinema ou em qualquer outro meio. Consequentemente, a profissão de detetive particular, de certa forma, pode ser acompanhada de perto por milhões de pessoas. Mesmo que o dia a dia de um investigador da vida real seja bem diferente da ficcional, as produções audiovisuais e literárias são fascinantes. Não à toa, provavelmente você já ouviu falar sobre o Sherlock Holmes, certo? Mas existem ainda outros detetives da ficção que são tão incríveis quanto o personagem criado por Sir Arthur Conan Doyle.

Alguns excelentes detetives da ficção

Se você gosta de um bom mistério, provavelmente ama ler ou assistir uma boa história de um dos detetives da ficção. E opções, certamente, não faltam, com possibilidades para agradar todos os gostos e faixas etárias. Esses personagens costumam ser interessantes, ter uma certa profundidade psicológica e uma visão diferente da sociedade. O mais conhecido deles, provavelmente, seja Sherlock Holmes, que tem bastante fãs em diversos países, inclusive no Brasil. No entanto, existem outros detetives da ficção que também são muito bons em seus serviços e merecem destaque:

Hercule Poirot

Hercule Poirot aparece pela primeira vez em “O Misterioso Caso de Styles”, de Agatha Christie, publicado em 1921. Ele foi uma das criações ficcionais mais conhecidas da escritora e se tornou um ícone instantâneo. Inclusive, é possivelmente um dos detetives da ficção mais famosos, ficando atrás apenas de Sherlock. Aparecendo em 33 romances e mais de 50 contos, Poirot possui muitas das características clichês dos detetives ficcionais. No entanto, com seu bigode rodado, sotaque belga e ego elevado, ele se destaca claramente contra a multidão.

Sua última aparição foi em Cai o Pano, de 1975. Devido à sua grandiosa fama, o anúncio da morte do personagem de Agatha Christie mereceu obituário na primeira página do The New York Times, nos Estados Unidos. O fim de Poirot se deu, segundo a própria escritora, pois ela não queria que mais ninguém escrevesse sobre ele depois que ela própria morresse.

Miss Marple

Outra criação de sucesso de Agatha Christie, Miss Marple é exatamente a imagem que temos em nossa cabeça quando pensamos em senhorinhas idosas: pequenas, gentis e tão tranquilizadoras quanto os bolos que costumam assar. No entanto, por trás dessa fachada, a personagem é uma excelente detetive. O contraste entre essas características, sem dúvidas, é uma das coisas que torna as suas histórias tão interessantes.

Intuição e psicologia são muito importantes para ela, que apareceu pela primeira vez no romance Assassinato na Casa do Pastor, em 1930. Ao todo, protagonizou 12 romances e 20 contos. Com uma excelente memória e capacidade de dedução, Miss Marple vive na pequena vila de St Mary Mead, onde encontra a oportunidade de estudar a natureza humana.

Inspetor Clouseau

Distraído, confuso e atrapalhado, o inspetor-chefe Jacques Clouseau é tudo o que não se espera de um detetive. Mas é um personagem que prova que não precisa ser esperto para ser um detetive de sucesso, pelo menos no mundo da ficção. A sua primeira aparição foi em 1963, com A Pantera Cor-de-Rosa. Ao todo, foram 8 filmes protagonizados pelo inspetor, dos quais 5 foram estrelados pelo ator e comediante Peter Sellers.

Adepto dos disfarces mais esdrúxulos, como bigodes enormes, perucas falsas e narizes postiços, o inspetor Clouseau costuma falhar de maneira dramática mesmo nas tarefas investigativas mais básicas. Contudo, ao mesmo tempo ele sempre parece sair à frente e resolver os casos.

Adrian Monk

Adrian Monk é um exemplo entre os detetives da ficção que ficaram bastante famosos na televisão. Interpretado brilhantemente pelo ator Tony Shalhoub, o personagem é uma bagunça neurótica. Após a morte de sua esposa, ele sofreu um colapso nervoso e isso provavelmente exacerbou seu transtorno obsessivo-compulsivo. Leite, cobra, altura, multidão e elevador são apenas algumas de suas 312 fobias. Dessa forma, ele não podia mais atuar na força e, consequentemente, foi afastado da polícia de São Francisco (EUA), onde tinha carreira como um detetive de sucesso.

Eventualmente, seus aguçados poderes de observação e grande trabalho de detetive o atraem como consultor do capitão Leland Stottlemeyer (Ted Levine) em casos que aparentemente eram impossíveis de ser solucionados. Os problemas de Monk tornam cada caso ainda mais desafiador do que para uma pessoa mais saudável. O sucesso foi tanto, que rendeu vários prêmios para Tony Shalhoub: um Globo de Ouro e três Emmy de melhor ator.

Veronica Mars

Mergulhando agora em um cenário mais juvenil, Veronica Mars é uma série televisiva que conta a história de uma jovem detetive. Inteligente, forte e ao mesmo tempo convencida, Veronica é a adolescente que todo mundo queria ser, até mesmo quem já é adulto. Ela traz uma visão muito mais moderna dos detetives da ficção, o que a tornou uma das detetives mais famosas da TV. Deixando para trás os maiores clichês que esse tipo de personagem carrega, a protagonista, vivida pela atriz Kristen Bell, é mais do que capaz de solucionar um caso. Contudo, ela também é um pouco falha.

O que torna essa série tão divertida de ser assistida, é que Veronica abraça suas falhas e tenta utilizá-las a seu favor. Nem sempre as coisas funcionam como ela esperava, mas isso certamente adiciona outra camada de mistério para os casos que ela enfrenta.

O sucesso do programa televisivo foi tão grande que, após chegar ao fim em 2007 com 3 temporadas, os fãs investiram mais de US$ 5 milhões via Kickstarter, uma plataforma de financiamento coletivo, para que fosse produzido um filme. Desse valor, US$ 1 milhão foi doado no período de apenas 4 horas. O filme estreou em 2014 e, em 2019, foi lançado um reboot da série, como se fosse uma 4ª temporada para a trama.

Acabe com suas suspeitas
Whatsapp
Nós te Ligamos Mande um Whatsapp