Detetive Particular: Quem é esse profissional e como atua?

Quando ouvimos falar em detetive particular, nos vem à mente algum dos consagrados heróis do cinema e da literatura que resolvem crimes enigmáticos e repõem a verdade de um modo triunfal. De fato, a profissão possui um certo glamour envolvido, mas também exige muito trabalho árduo, paciência e jogo de cintura.

Quem é o detetive particular?

O detetive particular é um profissional ético e responsável por investigar se algum comportamento suspeito tem embasamento. As atitudes mais frequentemente investigadas são suspeitas de traição, espionagem em ambiente corporativo, suspeitas de filhos adolescentes se envolvendo em atividades inapropriadas (consumo de álcool e drogas), entre outros casos. Além destes serviços, os detetives também podem auxiliar a localizar pessoas desaparecidas. Tanto a demanda quanto a oferta dos serviços de investigação particular encontram-se em expansão no Brasil.

Como contratar?

Em geral, as pessoas contratam o detetive particular quando já identificaram mudanças de rotina ou comportamentos suspeitos, como avisos de última hora, viagens em excesso, horas extras mal explicadas no trabalho, atenção excessiva ao celular ou computador, entre outros. Diante de sinais do tipo, o cliente entra em contato com detetives particulares e explica suas suspeitas, bem como os motivos que as despertaram. Esse primeiro momento consiste numa entrevista, em que é preciso ser específico e fornecer o máximo possível de informações – tudo aquilo que possa ser aproveitado para a investigação. O serviço é adquirido por meio de um contrato assinado entre as partes, detalhando os procedimentos a serem realizados, bem como preços e prazos, que variam conforme o caso. A função do detetive é única e exclusivamente monitorar o comportamento do investigado e, caso as suspeitas se confirmem, obter provas de suas atitudes. As provas podem ser fotografias, mensagens de texto, filmagens, áudios, entre outros. Todas as provas obtidas são incluídas em um relatório final a ser entregue ao cliente. Cabe a ele decidir o que será feito posteriormente. A partir de então, o trabalho do detetive está encerrado, e ele não mais interfere na vida do cliente.

Sigilo

Para que a investigação funcione, é essencial manter uma postura sigilosa. O contratante não deve interferir na atividade do detetive e tampouco alterar o seu comportamento e a sua rotina. É preciso agir normalmente para que o investigado não suspeite do processo em andamento. A discrição e a privacidade são as palavras-chave da investigação particular. Diante de uma atividade tão delicada e complexa, é essencial contar sempre com os melhores profissionais. Procure sempre obter referências e pesquisar sobre as habilidades e experiências passadas dos detetives antes de contratá-los.

Related Post

Nós te Ligamos Mande um Whatsapp