Telefone:

71 3042.0062

Fechar

Adultério é coloca o Brasil na liderança do Ranking

Investigação de Adultério
Investigação de Adultério
Os números preocupam e são surpreendentes: De acordo com pesquisas, os brasileiros são os que mais cometem adultérios em todo o mundo. 38% dos entrevistados afirmaram ter de 6 ou mais amantes. 29% entre 2 ou 3, 21% dizem ter de 3 a 4 amantes. Já aqueles que traem como uma única pessoa, representa 12%.   Os brasileiros estando naqueles 38% levanta uma pergunta comum nesse caso de relação extraconjugal. Por que, um número tão expressivo como este? O que leva uma pessoa a agir ou preferir isso? A resposta pode ser ampla, mas tentaremos explicar no decorrer do texto.   Para muitos, era impensável imaginar que a poligamia, isto é, se relacionar com várias pessoas fora do casamento fosse tão expressivo no Brasil. Por ser um país de predominância católica, muitos costumes ainda são vistos como primordiais, como o casamento com uma única pessoa, a fidelidade até que a morte os separe. Assim sendo, isso ainda é visto como uma barbárie ou falta de respeito com o parceiro ou parceira traída. Por outro lado, há culturas e religiões que são adeptas da poligamia, por exemplo, a Índia, onde a religião permite que homens tenham várias mulheres, mas se for mulher, muitas vezes é morta a pedradas por tal “crime” cometido.  

O que leva a trair?

Muitos fatores podem explicar o que leva uma pessoa a trair. A falta de sexo pode ser considerada um dos fatores principais. Conforme os anos de casados vão se sucedendo e os problemas no trabalho começam a interferir, a monotonia que toma conta do casal é instantânea. Isso cria no parceiro, aquela angustia até certo ponto irritação, pois não está mais sendo como antigamente. Por esse motivo, acaba saindo a procura de uma relação extraconjugal, com objetivo de simplesmente ser algo novo ou que cria internamente na pessoa aquele ar de aventura, agir na surdina sem ser pego.   Outro ponto que leva a traição é a curiosidade. O relacionamento anda meio morno, sem ação, aqui estamos de novo falando da falta de sexo, mas sempre uma coisa vai estar ligada com a outra. Nesse caso da curiosidade, seria mais sanar algumas perguntas, ou se conheceu aquela pessoa que o deixa “maluco”, muitas vezes fica difícil aguentar e impossível resistir à tentação de trair.  

Trair as vezes pode ajudar

Contudo, algumas traições acontecem involuntárias e muitas vezes não se repetem. Apenas em um momento de tristeza e carência leva a pessoa a cometer esse ato. Há também o outro lado da moeda, a sensação de trair e desconfiar que está sendo traído aqui podendo gerar aquele pensamento de pertencimento que a sua “real” parceira tem e vir a acontecer novamente aquele acendimento na chama da paixão do casal e até mesmo melhorar o relacionamento que estava em baixa.  

Trair não tem gênero

A relação extraconjugal ou como se diz popularmente, traição, não é mais uma exclusividade do homem. Pesquisas mostram que as mulheres já estão traindo igual ou mais que o sexo masculino. O problema desse adultério é quase sempre o mesmo. Falta de sexo, curiosidade, busca por aventura. Porém, algumas coisas se diferem ainda e muito. Enquanto nos homens, o fato de trair representa masculinidade, ter várias mulheres, ser o conquistador. A traição das mulheres ainda é vista como uma ofensa a família e aos costumes, principalmente, se for mãe. Mas tudo é certo, mentira tem perna curta e passível de ser descoberta.   Você acredita que está sendo traída(o)? Não perca mais seu tempo, contrate agora os serviços de investigação particular da Elite Detetives. Resolvemos sua dúvida em poucos dias, para que você siga sua vida tranquila e feliz.      

Related Post

  • Nós te Retornamos

    Mande um Whatsapp