Investigação de babás e cuidadores

Em teoria, as pessoas que se prontificam a cuidar do próximo e fazer disso uma profissão são indivíduos marcados por um perfil altruísta, repletos de compaixão e paciência com aquele ser que, por algum motivo, precisa de ajuda e cuidados especiais. É o caso de cuidadores de idosos ou babás, que são contratadas exatamente porque não há, ao menos durante o dia, algum familiar que possa cuidar da pessoa. Infelizmente, nem sempre a história é assim tão lógica e pacífica. Não é raro que os telejornais, especialmente aqueles de exibição local, noticiem casos de abandono, descaso, maus tratos e até mesmo agressão física de cuidadores a crianças ou pessoas idosas debilitadas.

Aparências

Muitas vezes, a candidata ao carga de babá (ou de cuidador de idosos) se apresenta como uma pessoa extremamente compassiva e caridosa. Mostra um currículo extenso, com cursos na área e com vasta experiência, passando por diversas famílias. No entanto, nem sempre as informações são verídicas e pode ser tarde demais até que os responsáveis percebam.

Como escolher alguém de confiança?

A análise de currículo é algo importante, mas uma folha de papel não é suficiente para conhecer uma pessoa que trabalhará dentro da casa do cliente, cuidando de alguém que lhe é especial. Por isso, além do currículo e da entrevista pessoal, o primeiro passo para confirmar a reputação do(a) candidato(a) é procurar contatos de pessoas que já tiveram experiência com esse profissional. O ideal é sempre obter uma recomendação de alguém de confiança. Pode ocorrer de o cuidador/babá cobrar salários mais altos, mas é um preço que vale a pena, se houver uma relação de confiança.

Como o detetive pode ajudar?

Além das alternativas já apontadas, o auxílio de um detetive particular pode ser muito útil nesses casos. Esses profissionais conseguem dar início a processos investigativos que analisam o estilo de vida da pessoa, verificam referências de trabalho passadas, conversam com clientes antigos e até mesmo verificam a ficha do indivíduo na polícia.

Suspeita de maus tratos

Quando alguém deixa uma criança, idoso ou pessoa com necessidades especiais sob cuidados de algum profissional de fora da família, é muito importante conversar tanto com o profissional quanto com a pessoa cuidada para saber como foi o dia. Alterações de comportamento, choro, apego excessivo e, principalmente, sinais de machucados podem levantar suspeitas. Nesses casos, é importante recorrer novamente ao detetive particular. Esse profissional poderá observar o que ocorre e instalar câmeras que registrem os fatos. Com fotos, vídeos e áudios que comprovem as agressões, fica mais fácil dar andamento aos processos judiciais contra o cuidador/babá. É importante buscar ajuda profissional o quanto antes, pois esse tipo de violência, seja ela verbal, física, psicológica ou até mesmo sexual, pode desencadear transtornos traumáticos na vida do indivíduo.

Related Post

Nós te Ligamos Mande um Whatsapp