Detetive particular pode ajudar em processos de divórcio

São diversos os motivos que levam casais a se separarem legalmente. No entanto, a maior parte dos divórcios envolve casos extraconjugais, ou pelo menos a suspeita de que estejam ocorrendo. Quando essa suspeita surge, é preciso colher provas que a sustentem. Caso contrário, a relação pode acabar desgastada apenas pela suspeita, pois a quebra de confiança pode comprometer o relacionamento. Por este motivo, muitas pessoas que possuem essa desconfiança recorrem ao detetive particular para que consigam comprovar o ato. Na maioria dos casos, essas suspeitas se confirmam, pois, para que o indivíduo entre em contato com um investigador profissional, provavelmente há evidências bastante fortes.

Como o detetive atua nesses casos de divórcio?

  Ao tomar conhecimento das suspeitas e das razões que as provocaram, o detetive inicia o processo de investigação. Para flagrar essa possível traição, o profissional monitora a rotina do investigado e, caso o ato se confirme, fotografias, mensagens de texto, vídeos e áudios são mecanismos de comprovação. Com base nessas provas, o detetive produz um relatório constatando que houve um caso extraconjugal. Da mesma forma, quando a hipótese de traição é refutada, o relatório registra que a suspeita não possui embasamento, podendo restabelecer a confiança no casal, que pode retomar a relação com mais tranquilidade. Para os casos de infidelidade comprovada, as provas coletadas durante o processo investigativo podem ser utilizadas nos processos de divórcio, de modo que o juiz seja favorável ao indivíduo que iniciou a investigação.

Outras circunstâncias

Além dos casos de infidelidade conjugal, os divórcios também podem ser motivados por outras circunstâncias em que a investigação particular pode ser útil. Quando o processo de divórcio já teve início, algumas pessoas podem desconfiar de que o parceiro possua imóveis, veículos ou contas bancárias “secretas”, para que não sejam incluídas na partilha de bens resultante do processo. Quando isso ocorre, os detetives particulares investigam e procuram por provas acerca da existência desses bens, de modo que, caso sejam identificados, possam ser anexados ao processo. Essa investigação deve ser realizada em total sigilo, para que o investigado não desconfie de que seus bens estão sendo monitorados. Além disso, essa comprovação da situação financeira do cônjuge também pode servir como argumento na hora de determinar o valor de pensão a ser pago. Outro caso em que o investigador particular pode ser útil nos processos de divórcio ocorre em episódios de agressão. Há indivíduos que recorrem a esse profissional para que ele consiga comprovar atos de agressão do cônjuge contra o parceiro ou contra os próprios filhos. Quando esse tipo de atitude é registrado, há consequências no processo de divórcio, principalmente quanto à guarda das crianças.

Profissionais de confiança

Em qualquer tipo de processo judicial, erros e provas falsas não são tolerados. Por conta disso, é essencial que o profissional a ser escolhido seja alguém de confiança, com o conhecimento e a tecnologia necessários para cada tipo de investigação.

Related Post